visitantes

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Videre in vitro

imagem: coração espelhado - ABrito- 21set2004


o que vejo tem peso de semente
fruto de girassol sabor amarelo intenso
de não admirar sem promover incêndio
Ahh..não sei....
se mente é porque cai pra dentro
e então vira outra coisa...
primeiro enigma calha antes de chover...

nova substância que se compromete com a distância, a ânsia, a mistura
plenitude é palavra grande demais
fragmentiras é o que melhor veste em perder o receio
reste, de terreno quase oco...
broto risco em se raiando pelas costuras duras do que se corta
e é pavimento de lorotas
é centeio, é meio

acarpetando o cimento...si si...ciumento
de U bem fundo, curvado de ladrilho
mais barro pra sujar gemidos que voam pelas janelas abertas de frias molduras
lamentos cingidos em coroas de boda maculada
desdoirando varreduras ao maior desequilíbrio de bambear
em trapézio os nublados desejos tão musculosos

convexo nupcial, nudezes de folhas
desiguais
paralelas nuances de franco grão
inclinação exclusiva à fertilidade embrulhada
enevoada miragem (in) vertida ao papel tingido
sangrado, singrado, sim grades de cálice a ser bebido.


18:58h
05/09/2007

20 comentários:

  1. Um jogo de possibilidades, de sentido inextricáveis na incontinência de palavras; adoro essa incerteza, esses devires-palavras se metamorfoseando; realmente um poema pra ser ruminado

    ResponderExcluir
  2. concordo com o amigo acima, "poema pra ser ruminado".
    Muito bom, quase uma prece.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do novo layout do blog, o que confirma seu bom gosto visual-estético. Quanto ao poema, é denso, belo e hipnótico em seus versos vigorosos

    ResponderExcluir
  4. Um poeta do que não é óbvio (e é).
    Deve ser um encanto.
    A propósito: eu sou ela.

    ResponderExcluir
  5. acarpetando o cimento....
    ciumento...

    lindo Bia.
    já disse que teu jogo de palavras me deixa embasbacada.
    ;D

    beijo.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre, grande texto.

    ResponderExcluir
  7. verdade: como nao te "admirar sem promover incêndio"? entao, te bj

    ResponderExcluir
  8. Bia!

    olha só, babe:
    queria dizer que as "Mulheres sob Descontrole" têm, agora, um divã novinho em folha!

    http://mulheressobdescontrole.wordpress.com/

    Aparece por lá!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Fantástico... não sei se elogio mais a imagem ou poema...ambos sublimes.

    Parabéns.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  10. Querida,
    Como são intensos os sentimentos que desfilam tua poética!! Vez ou outra, é preciso arrebatar a existência.

    Um beijo grande!

    PS: Obrigado pela visita à DIVERSOS AFINS!! Seja sempre bem-vinda!

    ResponderExcluir
  11. Anônimo6:21 PM

    Bia, não entendo nada do riscado e você bem sabe disso, mas aceite a visita de cortesia desse ignorante.

    Beijo,

    Fernando

    ResponderExcluir
  12. Ronaldo Ferrito7:27 PM

    Videre in vitro, vide vitro, viso isto: diga vitro, digo vitra visto, digo vida... vista, is... tô, ver in vitro, isso soe viso, soa visa, sua vista; digo, soa vida...sua vida.

    Se assim posso comentar.

    ResponderExcluir
  13. Vim agradecer-lhe as palavras dirigidas à minha trama e acabo agradecido por você; quanta força e beleza nessas palavras, Bia!!!
    quem bom que vc. anda por aí desvendando o rumo de tanto sentimento, que bom!!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  14. O layout tá lindo, a poesia também. Saudades, saudades daqui. Um beijo muito grande, linda.

    ResponderExcluir
  15. juninho138:53 AM

    ola, denovo atraves da lasanha, vim ate aqui, tbm divido espaço com vc por lah, rs gosto da força e combinações da sua escrita, rs... quero tbm convida-la a conhecer e participar dos nossos trabalhos que estao sendo construidos por aqui, se puder visita nossa pagina, mande sua sugestao, seu texto, sua vibe...
    desde já agradeço a atenção que sei que dará...
    um grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Lindíssimo texto poético, recheado de sementes e seivas, onde os grãos germinam em mil e um sentidos, saberes e sabores!... Adoro pousar em teu jardim e me deliciar com a delicadeza de tuas construções inspiradas, Linda! Beijos alados.

    ResponderExcluir
  17. Anônimo9:48 PM

    Oi, Beatriz,

    visitei o site e o blog e gostei muito de ambos. Gostaria de ter mais tempo pra ler as matérias com calma mas infelizmente acabo tendo que fazer visitas rápidas porque o trabalho - em especial este ano - tem sido uma coisa maluca.
    Você é de Londrina? Ou é do Rio e está morando lá (aí)?
    Adorei a foto da chuva no vidro, do blog, e a proposta do site (propositiva, como está dito lá). Legal também você ter colocado o vídeo da Clarice (aqui não deu pra ouvir direito, o som não estava bom, mas acredito que seja
    limitação do meu computador).
    Parabéns mesmo! Valeu!

    Beijos,
    Flávio Carneiro

    ResponderExcluir
  18. E vai a Bea Bajo mostrando suas novas peças.

    Saudades, querida.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. resumo a estas palavras minha leitura e privilégio de le-la: excelente!

    ResponderExcluir
  20. Dreco Ramos11:50 AM

    TALENTOSA BIA...

    A poesia circula por entre as veias tuas
    Cataclisma de miríficas metáforas
    Em vôo calmo
    Rumo a um céu de Ícaros que se vingam e revivem anjos
    Pressinto devaneios estes Inesperados
    Solidão e amor de teus versos
    Provocam-me
    O reencontro da flor rosa-lume
    Sensação serena que é flor
    Enraizada no relicário sensível
    Da beleza
    Cujo mundo desabrocha somente
    Aos afortunados
    Eis a revelação tua
    Cristalina
    Qual pétala plena codinome poesia
    Em tal bruma me perco.
    E desde então persigo-te, Embriagado.

    Dreco Ramos

    ResponderExcluir