visitantes

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Leonardo Martinelli



Ao falecimento do poetamigo Leonardo Martinelli - http://maformacao.blogspot.com -, os mais sinceros desejos de versos nessa nova estrada tua que também nos aguarda!
Deixo alguns dos belos poemas de Leo:
Retrato cubista (para cdcl)

Não há remédio
para cólicas e abismos
afetivos:
você ali sentindo as
dores dentro e
o amor através -
além dasexpectativas
mofadas ao sol, eternas
cativas dos
malefícios fiscais
sem retorno -
do sorriso infantil
às margens da Lagoa
após uma palavra
afiada
da última vez etc. -
então
o telefone
público
explode em cacos
oito meses
de idas sem volta -
esperas
tão banais
quanto um arco
e flecha
de brinquedo
um beijo sem retorno
ou dez mil pixels
de Picasso
(não esqueceremos
nada disso
querida,
e no entanto queremos
dormir em paz.)
5/11/2008
ELEGIA/ACC

Não,
Ana, nem
vem que não
tem: que
há para celebrar?
Teu salto
descalço na piscina
vazia?
As vinte e poucas
edições de tuas
obras
incompletas?
Os poemas
em
tua homenagem,
as mil e
uma teses de mestrado
calcadas
nas entrelinhas
do teu
desespero?
Não, Ana. Esqueça.
Sabe das novas? Armando
vai bem, Eudoro
também, Angela lhe quer
bem, mandou
um beijo
inclusive -
disse que lamenta,
infelizmente
não
pretende
comparecer ao
enterro
de tua última quimera.
Isso é meio
cruel.
E daí? Foda-se,
Ana C.,
você exaspera
qualquer um
com dúvidas, dívidas
filhos e culhões
com esses ares
de sereia pré-rafaelita
perdida
no Baixo Gávea -
tanto
tesão, meu deus
tanto ardor e
catecismo sex drugs
and rock'n'roll
pra quê
caralho! - tudo
se esvai
num brinde inútil
ao Vazio.
Você não merece nem
um poema frio.
Nem flores de outubro
a teus pés.
Tudo bem, deixa
quieto. Mantenha contato,
o povo daqui
ainda gosta muito
de ti.
Vê se muda de ares -
abraço,
Leo
Um homenagem de Carlos Lima - http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Lima#Obras -, outro maior ainda, mestremeu...


Para um Cronópio em Transe

para Leonardo Martinelli

“Sem compreender que,
pelo simples teorema do egoísmo,
A vida enganou a vida,
o homem enganou o homem.”

Paulo Mendes Campos

Meu magnífico Cronópio
a vida transita pela máscara da tua face
machucada como um trapezista do caos
na essência todo esse mundo é uma indecência
um imenso emunctório de emoções traídas
só a fauna dos famas consegue cumprir os prazos
chegar às chagas desse solo sujo sem cicatrizes
Mesmo sem Horácio Oliveira, Maga, as teorias do túnel
o Perseguidor continua a sua irretocável viagem
enquanto nas úlceras do fim do mundo
uma traça morelliana como uma bela dama sem perdão
baila em volta do teu caixão de anjo rebelde
numa carícia morta sobre teu corpo não vencido
as unhas dessa paisagem infiel despejam sobre você
todo o fel da sua melancolia suburbana
mas nem a noite bêbada com sua atroz hipocrisia de medusa
que tateia os naufrágios nas pétalas do sonho
pode assassinar a Tarde de Maio do teu coração - já fábula de luz.

Carlos Lima
24/11/2008

4 comentários:

  1. saudades... pra sempre...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1:40 PM

    Linda

    o link para o blog do leonardo está errado, tem www sobrando. O link correto é http://maformacao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. gracias, anônimo!!
    consertado! ;)

    ResponderExcluir
  4. Anônimo6:38 PM

    Just want to say what a great blog you got here!
    I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

    Thumbs up, and keep it going!

    Cheers
    Christian, iwspo.net

    ResponderExcluir