visitantes

segunda-feira, 23 de março de 2009


dia da poesia, que ironia! qual verso quer perpetuar essa mentira? quem se interessa pela pequenez de um amor desfeito? tantos segredos mais bem contados tantas dores mais bem sentidas tantas vidas é que uma bijuteria caiu ao ralo ralando a alma dourada da poesia-menina que não encontrava a medida do anel tão bem cabido no dedo que sangra cacos de mel latejando a pele que veste outra história empinando fabulações protegidas pela hóstia do dia que seca a lagriminha do tempo que não houve ainda...mas isso é uma outra idéia.

01:00h
16-03-09

7 comentários:

  1. a poesia está morta mais eu juro que não fui eu disse zeca baleiro numa de suas cançõs.

    seu blog tá show de bola.

    um abraço de luz.

    ResponderExcluir
  2. sonhei com vc esses tempos...
    +D

    ResponderExcluir
  3. Amiga,excelente, rasgando pensamentos, adorei!

    ResponderExcluir
  4. sim, para quê poesia?
    hehehe.

    ResponderExcluir
  5. Lí suas respostas no Blog do Edson Cruz.
    É muito interessante poder observar e refletir sobre cada resposta, sobre cada Universo, que perpassa os poetas lá presente.
    Identifico-me com seu olhar despido sobre o fazer poético.
    Parabéns também pelos seus poemas.

    Um abraço,

    Jorge Elias Neto

    ResponderExcluir
  6. "Faz de tua vida mesquinha um poema"/ Cora Coralina,
    é por aí Bia Linda...
    lindo tudo por aqui:)

    ResponderExcluir