visitantes

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Varal de idéia fixa

Idoors


...talvez tivesse receio de fazer pesar ternos meus a ponto de envergar o varal de idéia fixa. Cabiam sempre entre uma roupa e outra minhas meias. Meias verdes. Haviam de secar em céu aberto. A umidade é o mistério original... a secura, a verdade coagulada. Mas verde é cor molhada de sempre e quando baixei o varal, a tinta ainda estava fresca. Ingênua tentativa. Temi. Assim como me sinto mais viva molhada, entrei na máquina e lavei-me inteira. Esverdeei. Torci e retrocedi a ponto de dobrar-me quase. Amarrotada. Calcei as meias verdes, pendurei-me com cuidado no varal e estendi-me. Agora aguardo que o sol me quare.


10/04/2007
06:10h

8 comentários:

  1. é... também acho que a "umidade é o mistério original", será cedo para retirar as idéas do varal? Um amadurecimento por sua vez, pode quarar e secar de mais! Ficarei com a umidade!!!!
    Mas cuidado, desse jeito poderás "gripar-se"! hahahahahahaha
    muito bom!!! sábias entre-linhas,
    :D Bjo, e parabéns mais uma vez!!!

    ResponderExcluir
  2. adorei o varal.

    comprarei um desses pra estender aqui na minha varanda. Mas não quero que o sol me alcance. Jamais.
    Vou ficar molhada, pra sempre, de cabeça pra baixo.

    beijo

    ResponderExcluir
  3. nossa, como eu ando out-side, esse doutorado vai atrasar a minha vida literaria, rsrsrsr. bjo

    ResponderExcluir
  4. ahhh bia!
    poemas surrealistas? nossa, ainda não havia pensado nisso... xDDD
    acho que evoluir é um grande objetivo de todos aqui na terra. a tarefa mais árdua da evolução é colocar a mão na consciencia e ter coragem de assumir os erros e deixar que o sol evapore tudo quanto é coisa ruim da gente. ^^

    bjãoo!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom, menina!!! Gostei do texto transcrito, das idéias, e sim, da proliferação da poesia, seja qual for o meio, o caminho, o canal: o fluxo segue, como um rio, cheio de curvas e pedras, cascatas e confluências! Beijos alados e outonais.

    ResponderExcluir
  6. Adorável , o varal com meias verdes!!! E ele me parece, me aparece, transparece... tua alma de teias e cores e fios, ventos e seivas!!! Beijo esvoaçante, Beatriz! (e respingado de azul).

    ResponderExcluir
  7. Linda Graal sua escrita é um primor e a maneira com que vc brinca com as palavras usando-a para expressar situções e momentos é brilhante. Parabens!

    Até mais!

    ResponderExcluir
  8. mina, só agora comecei a reparar com mais atenção esse poema, tem mto a dizer...

    ResponderExcluir